.Mim mesmo...
.Encontre neste blog
 
.Recentes

. ...

. Os mais bem pagos das sér...

. Livros e leitura

. Crazy photo

. Love, love, love...

. Casa do Futuro!

. Jogos Olímpicos 2016

. Assassinato de Obama

. Passageiro frequente

. Tradição

."Others"

Von Frankfurt am Main

Abat-jour

Pitau Raia

Fala Barato

O Ressio

Ana às voltas

Vendo a minha mãe

Conhece-te a ti mesmo

31 da Armada

Galeria. J.P

YouTube Canal

Olhares.com

English Russia

Sapo Blogs

Portal dos Sites

.Arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

blogs SAPO
.Fazer olhinhos
RSS
Quinta-feira, 20 de Agosto de 2009
Velocidade 'warp' é possível?

"Dois cientistas acreditam que ficção pode transformar-se em realidade no futuro.

 

E se fosse possível manipular a dimensão espácio-temporal à volta de uma nave espacial, recorrendo a uma massiva forma de energia, criando assim uma 'bolha' através da qual esta poderia viajar à velocidade da luz? Se tudo isto lhe lembra um filme ou uma série de ficção científica, é porque foi de facto nesse domínio que tal ideia surgiu.

 

 

 

Mas dois cientistas da Universidade de Baylor, no Reino Unido, acreditam que poderá haver uma forma de passar do imaginário á prática. No estudo:Warp drive: A New Approach, Richard Obousy e Gerald Cleaver - o primeiro um estudante de pós-graduação e o segundo um professor associado de Física - descrevem a "nave" como "um surfista a deslizar numa onda", sendo que a onda seria a tal bolha de energia. O estudo usa o termo "warp", realidade criada pelo universo de ficção científica Star Trek.

 

O método é baseado no princípio de locomoção Alcubierre, que propõe uma expansão do trecido espacial atrás da nave e a retração do que se encontra à sua frente. De acordo com esta teoria, a nave não estaria exactamente em movimento, mas antes 'pousada' entre estas dimensões espaciais antagónicas.

 

Uma hipótese que tem a vantagem de não contrariar a Teoria da Relatividade de Alfred Einstein, segundo a qual seria necessária uma quantidade infinita de energia para que um objecto pudesse acelerar até á velocidade da luz. É claro que, mesmo com limites, não deixaria de ser necessária uma quantidade enorme de energia para obter o efeito 'bolha', obrida com tecnologia ainda inexistente."

"in DN Ciencia"

Badalado por p3marinho às 01:05
URL | Comentar | Escolhe-me a mim!